1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!.

quinta-feira, 30 de maio de 2013

Escotismo: Atividade de Observação

Sinais de Pistas
 
É uma boa atividade de observação. Primeiro você deve aprender os sinais de pista, que os Escoteiros usam para se comunicar nas trilhas da floresta e nos campos. Alguns são idênticos aos usados no passado pelos aventureiros, indígenas e exploradores. 

Nas estradas, nos campos e no mato, encontramos sinais deixados no chão, nas árvores e nos rios, por animais ou pessoas. A essas pegadas, quando tomadas numa direção e com um fim, é que denominamos "pista". 

Seguir uma pista exige observações que pões em jogo a acuidade dos sentidos e o vigor da inteligência. Quem se dedica a essa atividade adquire conhecimentos muito úteis e elevado grau de percepção das coisas. 

Naturalmente que seguir uma pista real para a descoberta de um animal ou pessoa, demandaoportunidades e interesses que muitas vezes nos escapam. Por isso é que os Escoteiros iniciam o aprendizado utilizando sinais convencionais próprios, colocados em pontos que facilitam a observação. 

O aprendizado na pista feito teoricamente na sede, não pode ter significado, pois o objetivo é habituar o Escoteiro com as observações naturais. 

São assim criadas oportunidades para a aquisição do conhecimento, objetivando a acuidade dos sentidos e o jogo do raciocínio. Uma história inventada durante uma excursão, a procura de um elemento fugido do acampamento, são situações que podem parecer reais.

No aprendizado dos sinais convencionais observe o seguinte:
  1. Os sinais são feitos à direita dos caminhos.
  2. Os sinais devem ser visíveis.
  3. Quando venta não podem ser utilizados papéis ou folhas.
  4. Os sinais não devem ser traçados a mais de um metro de altura do solo.
  5. Nos cruzamentos de estradas deve sempre ser colocado o "caminho a evitar" nas que não vão ser utilizadas.
  6. Nos lugares de movimento devem ser feitos muitos sinais.
  7. Os sinais devem ser traçados obedecendo as condições do terreno: em terrenos difíceis de 2 em 2 metros, nas rochas de 5 em 5, nas matas de 20 em 20, nos campos de 30 em 30 metros.
  8. Nos casos de interesse geral não empregar sinais convencionais limitados à patrulha, e sim os adotados geralmente.

Vários são os sinais empregados em nossas atividades. Outros podem ser convencionados pela patrulha. 
Nos desenhos apresentados damos indicações dos principais. Nas indicações de horas, muitas vezes necessárias, como "espere-me aqui às 15horas", devem os Escoteiros, colocar do lado do nascente um círculo indicando o sol, para o cálculo das horas. 

O sinal de "perigo" deve ser colocado onde quer que exista algum, sobretudo onde há "caminho a evitar'. A pista sempre tem um começo e um final marcados com sinais característicos. Se você perder a pista volte até o último sinal que achou e procure com atenção nas proximidades até achar o próximo. Ande devagar e com os olhos bem atentos.


Caminho a seguir

Caminho a evitar

Vire a direita

Vire a esquerda

Perigo

Obstáculo a frente

Volte ao ponto de reunião

Espere aqui 10 minutos

Nos separamos, 2 foram para direita e 3 foram para esquerda

Acampamento nessa direção

Reunir

Dispersar

Cruzar a ponte

Acelerar o passo

Água potável

Escalar nesta direção
Feito por Maurício Moises da Silva - Reg. UEB Nº 235.516-7

Especialidades Escoteiras


Especialidades


Especialidade é um conhecimento ou uma habilidade particular que se possui sobre um determinado tema.


Para que alguém se torne um especialista sobre determinado assunto, é preciso dispor de tempo, estudar muito e dedicar-se com afinco. As especialidades propostas pela U.E.B. pretendem ser o ponto de partida, estimulando a obtenção e o exercício de habilidades em torno de um ponto específico, ajudando-o a desenvolver novas aptidões, motivando a exploração de novos interesses e como conseqüência, ajudando-o a se tornar uma pessoa melhor preparada para enfrentar a vida.

Lembre-se que a conquista de uma Especialidade não o torna um especialista, porém pode ser um bom começo, pois você poderá ter contato com os mais variados temas, para mais tarde, eleger aquele ou aqueles em que você efetivamente vai querer se especializar, quem sabe até definindo sua futura profissão.

Veja alguns exemplos:
     

     Nível 1     Nível 2      Nível 3


Clique no nome da Especialidade e veja os itens que a compõe.

Todas as informações foram revisadas em 01.03.2012 e estão de acordo com a 14ª edição de novembro de 2011 do Guia de Especialidades publicado pela UEB.

CIÊNCIA E TECNOLOGIADESPORTOS (continuação)
AeromodelismoPesca
AquariofiliaPrática Desportiva
ArqueologiaSkateboard (nova)
ArquiteturaTécnicas Verticais (nova)
Astronáutica (nova)Tênis (nova)
AstronomiaTriatlo (nova)
Automodelismo rádio controlado(nova)Vela
ComunicaçõesXadrez
Echolink (nova)
Eletrônica
EnergiaSERVIÇOS
EngenhariaAdministração
Engenharia SanitáriaAgricultura
Entomologia (nova)Alfabetização
Espeleoturismo (nova)Animação da Fé
Geografia (nova)Aquicultura
InformáticaBabá
MeteorologiaBiblioteconomia
MineralogiaBolsa de Valores
OceanologiaCarpintaria
PaleontologiaCartografia
PlanadorConfeitaria
QuímicaConstrução Civil
Técnica AeronáuticaCostura (nova)
Web design (nova)Criação de animais de estimação
ZoobotânicaDecoração

Defesa Civil
CULTURAEmpreendedorismo (nova)
Arte da MarinhariaEncadernação
Artes CênicasEntrega de Mensagens
Arte em OrigamiEstilismo
Artes GráficasEtiqueta
ArtesanatoFaixa do Cidadão
ColeçõesHorticultura
Cultura BrasileiraInformações Turísticas
DançaIntegração
Dança FolclóricaInternet
Estudos da BíbliaInvestigação
FotografiaJornalismo
Fotografia Digital (nova)Lides Campeiras
GenealogiaLínguas
Grafite (nova)Manutenção Elétrica
História AeroespacialMarcenaria
História BrasileiraMecânica Aérea
História da ArteMecânica de Automóveis
História LocalMecânica de Motor de Popa
História MarítimaMinhocultura (nova)
História Mundial (nova)Navegação Aérea
LeisNutrição
LeituraObservação Aérea
LiteraturaPaisagismo
Mágica e Ilusionismo (nova)Pintura
Malabares (nova)Prevenção ao Crime
Multimídia (nova)Prevenção ao Uso de Drogas
MúsicaPrevenção de Incêndio
OratóriaPrevenção em Saúde
Pintura e Desenho ArtísticoPrimeiros Socorros
Pintura em TelaProdução de Laticínios
PlastimodelismoPropaganda e Marketing
Produção Áudio Visual (nova)Radioamadorismo
TradiçõesRadioescuta
Tradições IndígenasReciclagem (nova)
Videogame (nova)Reparos Domésticos

Reparos em Fibra
DESPORTOSSalvamento
Arco e Flecha (nova)Secretariado
Artes MarciaisSegurança
CanoagemSegurança Doméstica (nova)
Capoeira (nova)Segurança no Trânsito
CiclismoSerralheria
Corrida de OrientaçãoSinalização
Corrida de Rua (nova)Sobrevivência
Escalada (nova)Socorrismo (nova)
Estudos DesportivosTopografia
ExcursõesTrabalho Voluntário (nova)
Futebol (nova)Vendas
Gamão (nova)Vitrines
Ginástica
HipismoHABILIDADES ESCOTEIRAS
Hipismo RuralAcampamento
Le Parkour (nova)Almoxarifado
Mergulho Autônomo AmadorCidadania do Mundo
Mergulho LivreCulinária
MontanhismoMarinharia
Mountain BikePioneiria
NataçãoRastreamento
PatinaçãoTécnicas de Sapa



Todas as informações foram revisadas em 01.03.2012 e estão de acordo com a 14ª edição de novembro de 2011 do Guia de Especialidades publicado pela UEB.


Comunicação entre Bases Escoteiras

Semáfora
Desde o início de sua história o homem sempre buscou se comunicar e transmitir suas mensagens de maneira confiável e rápida. Os estafetas e mensageiros, a pé ou a cavalo, foram durante muito tempo a única forma disponível de comunicação à distância, embora lentos e sujeitos a "acidentes de percurso"...
A semáfora é um sistema óptico de sinalização baseado nas diversas posições que duas bandeirolas coloridas podem assumir quando empunhadas pelo transmissor. Na terminologia semafórica, cada caractere (que pode ser uma letra, um numeral ou um sinal de serviço) é representado por uma posição diferente das bandeirolas, formando, assim, um alfabeto próprio.
A semáfora é a técnica de transmissão mais barata que podemos praticar em nossas atividades. Com muito pouco dinheiro compra-se todo o material necessário para a confecção das bandeirolas. Ao contrário das torres de rádio, não há necessidade de manutenção nem de preocupação com a vida útil do equipamento e as restrições regulamentares e legislação são inexistentes! O único inconveniente da utilização da semáfora está no fato que ela é impraticável à noite!

As Bandeirolas

O único material necessário para a prática da semáfora consiste de um par de bandeirolas para cada posto de transmissão. E essas podem ser facilmente confeccionadas por sua patrulha. 
As bandeirolas são tradicionalmente quadradas, divididas diagonalmente em dois triângulos coloridos. 
As cores devem sempre contrastar com a cor predominante da natureza atrás do posto transmissor. Por isso é que a combinação de cores preferida são vermelho e branco, vermelho e amarelo, e preto e amarelo. Tradicionalmente a cor mais escura (vermelho ou preto) fica junto ao cabo.
O tamanho das bandeirolas deve permitir que elas sejam visíveis de longe (entre 300 e 500m pelo menos) contanto que não sejam grandes demais que cheguem a atrapalhar. Uma bandeirola de 50 cm é considerada de bom tamanho.   As bandeirolas são normalmente feitas de pano e enroladas no cabo para transporte. Acontece que em situações de pouco vento as bandeirolas não são bem visíveis. Assim, costuma-se fazer também "bandeirolas duras": basta utilizar uma vareta na transversal do cabo.
A Técnica
Para praticar a semáfora, é preciso constituir equipes de transmissão (ou "postos de transmissão"), compostas de 2 ou 3 pessoas O "transmissor", responsável pela codificação dos sinais. É quem maneja as bandeirolas. 
O "receptor", que decodifica a mensagem sendo recebida de outra equipe de transmissão. Deve ter sempre um binóculo à mão! 
O "gravador" ou "secretário", responsável pelo registro das mensagens recebidas e das transmitidas também. 
O transmissor e o receptor podem ser a mesma pessoa. 
O papel do gravador durante a transmissão deve ser o de ler, letra por letra, o conteúdo da mensagem. Assim o transmissor não deve se preocupar em memorizar o texto, apenas transmitir cada letra. Antes de começar a transmissão os postos devem estabelecer suas posições de tal forma a serem facilmente vistos um pelo outro. 
Não esqueça que o fundo é muito importante para uma boa visualização. Escolha sempre um posicionamento que faça o maior contraste possível. Para facilitar, comece chamando a atenção, fazendo o sinal abaixo:
Atenção - para iniciar a seção de comunicação
Uma vez identificados os postos, é comum (e às vezes necessário) fazer-se um "ajuste fino" das estações de transmissão. Para isso utiliza-se naturalmente, as bandeirolas para transmitir sinais de serviço. Veja alguns deles:
Desloque-se para a direita (DD)
Desloque-se para a esquerda (EE)
Venha para mais perto (PP)
Vá para mais longe (LL)
OK, Nós estamos prontos (K)
Recebido e entendido (R)
Enquanto você estiver aprendendo os sinais (ou caso o colega da estação receptora seja também um novato), você deve fazer o sinal de "pronto" ou de "espaço" entre cada caractere. À medida que você for ficando mais à vontade com as bandeirolas, poderá usar o sinal de espaço apenas entre as palavras.
Espaço - Para separar cada letra, durante a aprendizagem. Depois, só use para separar palavras.
A Aprendizagem

A única maneira de se aprender bem a semáfora é visualizar, visualizar e visualizar! Duas palavras podem resumir a técnica de aprendizagem:memorização e treinamento. Fora isso, você pode escolher algumas técnicas alternativas de memorização: 

- Comece aprendendo ciclo por ciclo (A-G, H-N, O-S, etc.). 
- Aprenda os sinais opostos (A e G, I e X, N e U, etc.). 
- Memorize as letras mais freqüentes primeiro (E, T, A, O, I, N, S, R, L, D...) e forme o máximo de palavras a cada nova letra
Mas nunca use um espelho para aprender! Você vai memorizar tudo ao contrário. A semáfora tem a característica de se ter de aprender a transmitir e também a receber. São dois alfabetos diferentes. Aquele que você transmite é o oposto daquele que você recebe -- mas o espelho mostra o inverso. A melhor forma de praticar é com um amigo.
ALFABETO SEMAFÓRICO:

A ou 1

B ou 2

C ou 3

D ou 4

E ou 5

F ou 6

G ou 7

H ou 8

I ou 9

J ou 0

K

L

M

N

O

P

Q

R

S

T

U

V

W

X

Y

Z



ESQUEMA PARA TREINAMENTO E MEMORIZAÇÃO.

 
Feito por Maurício Moises da Silva - Reg. UEB Nº 235.516-7
Blog Widget by LinkWithin