1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!. 1,2,3,4, SER LOBINHO É UM BARATO!!! 4,3,2,1, MAS NÃO É PRA QUALQUER UM!!!.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Jornada de Aventura

Jornada de Abril

Em abril, em desenvolvimento de atividades para alcançar a Insígnia Mundial do Conservacionismo, saímos em jornada pela margem de um córrego que existe por trás da área de nossa sede.
Este córrego deu nome ao bairro onde estamos situados, a Vila Progresso. É um córrego pequeno, com pouco mais de dois quilômetros e meio, estreito e raso. Um córrego de águas limpas, por isso bem oxigenada e com vida (Pequenos peixes conhecidos com “barrigudinho”) e vasta vegetação.
Por perto havia “gado” pastando e não muito distante encontramos uma casa desabitada e em sua volta dela um pomar (mas não era época de frutas) e somente os pés de “Jamelão” tinham frutos e os “Lobinhos” fizeram uma festa.
Para chegarmos à casa tivemos que atravessar uma pequena ponte que acabou sendo nossa referência para descobrirmos, com ajuda do bastão, a profundidade daquele “Corguinho.
Fizemos uma parada para o lanche, fizemos todas as anotações sobre o córrego, suas margens, vegetação, distancia percorrida, tempo gasto e logo depois retornamos à sede.

























0 comentários:

Postar um comentário

Blog Widget by LinkWithin